quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Relacionamento


Relacionamentos

A Arte da Conquista



Desde muito tempo atrás o homem analisa a melhor forma de conquistar a mulher desejada.


Em 63 A.C., o poeta romano Publius Ovidius Naso , já escrevia sobre o amor e suas nuances. Para ele a técnica de como seduzir uma mulher , assim como qualquer outra, podia ser aprendida. Em seu livro, recém lançado pela Companhia das Letras, Amores & Arte de Amar , Ovídio aborda temas atuais como: padrões de beleza, ciúme, infidelidade, aborto e é claro a arte da sedução e conquista.

Desde dois milênios atrás até aqui, inúmeros autores publicaram textos, matérias e obras com o intuito de ajudar-nos a se dar melhor com o universo dos relacionamentos. Entretanto, de muitos assuntos que tive acesso sobre determinado conteúdo existe um o qual resume perfeitamente a aArte da Conquista. Em pouco mais de 6 minutos o autor do Filme “Hitch – O Conselheiro Amoroso” sintetiza de maneira muito feliz o que um homem deve fazer para conquistar uma mulher. Se bem interpretado, o pequeno e “poderoso” início do filme é um excelente guia para te fazer chegar à mulher desejada.

video


quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Humor


Humor:
Porque as Mulheres entendem tudo distorcido ?

 
Praticamente todos os homens já passaram pela terrível situação onde você fala determinada coisa, que quer dizer exatamente o que você disse, mas as mulheres interpretam ao seu bel prazer, e você acaba se ferrando de graça.
Vou colocar abaixo alguns exemplos do que quero dizer, caso as mulheres também estejam lendo:

O QUE ELE DISSE: Vou passar a noite com os meus amigos hoje, jogando poker.
O QUE ELE QUIS DIZER: Vou passar a noite com os meus amigos hoje, jogando poker.
O QUE ELA ENTENDEU: Amor, não quero passar a noite hoje com você.
O QUE ELA ENTENDEU COM TPM: Quero ficar o mais longe possível de você, não te agüento mais...

O QUE ELE DISSE: O que você quer de presente? Um perfume importado ou maquiagem?
O QUE ELE QUIS DIZER: Após analisar cheguei a conclusão de que você gostará mais desses dois presentes, poderia me ajudar na escolha?.
O QUE ELA ENTENDEU: Amor, você ta precisando de um perfume E maquiagem nova
O QUE ELA ENTENDEU COM TPM: Não agüento mais olhar pra tua cara feia, por isso comprei uma maquiagem ...

O QUE ELE DISSE: Amor, bora começar a fazer academia?
O QUE ELE QUIS DIZER: Amor, se eu fizer academia sozinho, não vou ter paciência pra continuar.
O QUE ELA ENTENDEU: Amor, você ta precisando malhar, viu…
O QUE ELA ENTENDEU COM TPM: Pelo amor de Deus, não acha que ta na hora de dar uma emagrecida ?

O QUE ELE DISSE: To cansado, vamos deixar o sexo pra mais tarde?
O QUE ELE QUIS DIZER: Porra, meu dia hoje foi cheio, to muito cansado…
O QUE ELA ENTENDEU: Não sinto mais tesão por você.
O QUE ELA ENTENDEU COM TPM: ... Você acha que eu caio nesse papinho, você tem outra ...

RESUMINDO: Agora que você já entendeu a idéia, só tem uma solução para prevenir a situação: quando for falar alguma coisa que você ache que ela possa entender de diversas maneiras, explique PERFEITAMENTE. 

Exemplo:
O QUE ELE DISSE: Amor, vou passar a noite com os meus amigos hoje, jogando poker.
COMO ELE DEVERIA DIZER: Amor da minha vida, SUA LINDA! Deixa eu te falar: meus amigos estão me perturbando a séculos por uma noite de poker. Então, deixa eu uns abraços e beijos antes de eu ir. A propósito: você ta mais magra? Parece… Ah, quase ia esquecendo, toma meu cartão de crédito, qualquer coisa se você ficar entediada. Beijão amor =***


“Se o que você disse tem mais de um significado, sua mulher vai interpretar da pior maneira possível e imaginável”




sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Mulheres


Mulheres…

Ao melhor estilo Pin-Up, Grazi Massafera faz ensaio para revista GQ Brasil na edição de novembro. 

O Blog Gentleman’s traz as fotos dessa bela Pin Up Brasileira acompanhadas por sua entrevista a qual ela fala sobre sua gravidez, sonhos, sexo e muito mais. Confira!














Entrevista:

Se não me engano, li alguém falando que o sexo na gravidez é muito melhor.
Quer saber se isso já está acontecendo?

Alguma coisa tem de estar acontecendo.
A sensibilidade fica bem mais aflorada.

Parabéns pela sua gravidez. Casal lindo, filhos lindos. Mas me conte qual a importância do sexo na sua vida nesses momentos maternos em que tudo fica mais sensível. Como a mulher mais sensual do Brasil, aliás, você se acha sensual ou sexual? Sei a resposta, mas eu queria ouvir a sua.
Acho tão difícil responder (risos).

Vou responder e você confirma ou não. Você é uma mulher de uma sexualidade inacreditável (risos). Concorda?

Não sei o “inacreditável”. Talvez eu seja mais sensual do que sexual.

Acha o sexo importante?

Muito importante.

Na escala de 1 a 10?

1.000, 10.

Sem orgasmo pode ser bom?

Pode.

Diz a lenda que você tem ciúme de Alinne Moraes (ex-namorada de Cauã).

Não.

Não pode falar sobre isso?

Posso, sim.

De onde surgiu essa história?

Não sei, você que trouxe ela agora.

As duas se falam?

Quando nos encontramos. Até entendo a pergunta. Como eles viveram um tempo juntos, é inevitável as pessoas ficarem curiosas. Ela é muito bonita e uma excelente atriz, mas não tenho ciúme. Meu marido não me dá motivos para isso.

Agora que você vai ter uma família, olhando para trás, o que mudou da Grazielli para a Grazi?

Com certeza a inocência, que se perde com o tempo. Me esforço muito para mantê-la. Não posso pagar de boba, mas ter um pouquinho de ingenuidade é essencial.

Por que você começou a perder a sua inocência?

Fiquei mais madura, o que é muito bom. E hoje sou mais determinada, mais profissional. Peguei essa determinação da minha mãe, segui muito o sonho dela. Cheguei a um ponto em que eu conquistei todos os sonhos da minha família e acabei vazia. Daí tive de fazer terapia.

Faz tempo isso?
Já faz seis meses, um ano. Seis meses em que eu entrei em processo. Um ano que eu procurei. Isso me ajudou para não sentir esse vazio todo e ir atrás de outros sonhos. Sou movida a isso.

Quais são os seus outros sonhos?

Um deles está aqui dentro de mim.


Fonte: Portal GQ Brasil


segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Comportamento



Feminismo
Afinal, o que elas queriam?




O feminismo acabou, ou pelo menos transformou-se completamente. A reportagem de Roberto Amado  para revista ALFA com adaptações textuais do editor do Blog, Bruno Lucena, traz em síntese o retrato da degradação do movimento feminista.

Houve momentos da história em que as demandas das mulheres foram claras. Um deles aconteceu há pouco mais de 40 anos, quando o feminismo ganhou corpo, no Brasil e no Mundo, com reivindicações revolucionárias: igualdade social em todos os níveis, oportunidades de trabalhos semelhantes, fim da violência masculina, legalização do aborto, extinção dos padrões masculinos de beleza e em fim, a definitiva “exterminação da sociedade patriarcal”.

A revolução feminista, assim como todas as que foram pregadas nos anos de 1960 e 1970 não aconteceu, mas deixou seu legado. “Houve muitos avanços. Nas oportunidades de emprego, na qualidade dos salários, no respeito. Hoje ninguém mais fala ‘Vai pra cozinha Dona Maria’”, diz a professora Maria Elisa Cevasco que aborda essas questões no curso que ministra na faculdade de letras da USP.

O feminismo acabou ? Sim – ao menos aquele pregado por senhoras raivosas que não se depilavam para virar “objeto” . As mulheres assumiram seu desejo e fazem dele o que bem entendem. Caíram por terra todas as barreiras sociais ou morais. Elas podem escolher seus parceiros, ter relações em compromisso, praticar sexo apenas por prazer. Desenvolveram uma linguagem própria, em contraposição à masculina, para definir suas atividades. “Ficar” , essa palavra que designa quase todas as modalidades de relacionamento casual, é uma típica invenção feminina. Parece que, nesse campo, a conquista foi equiparar-se ao homem, replicar seu comportamento e não propor um novo paradigma nos relacionamentos – como seria de se esperar de um feminismo transformador.

Em fim, as mulheres conseguiram tudo o que reivindicavam, mas hoje o mundo assiste a degradação de um movimento tão fundamental para a evolução da raça humana. 

A última novidade em relação a esse feminismo diluído é a Marcha das Vadias. O movimento se iniciou no Canadá, após a palestra de um policial que aconselhava as mulheres a não usarem roupas de vadia para não correrem o risco de serem estupradas. A revolta local virou bandeira em favor de a mulherada se vestir como bem entende. Justo. Mas muitas das que participaram da versão da marcha na Avenida Paulista, em São Paulo, junho último, queriam apenas exibir acessórios atrevidos que dificilmente usariam em outra situação. Algumas admitiram que queriam ficar “bonitas e gostosas” Não é o caso de Bruna Provazi, uma das principais articuladoras da corrente no Brasil.

Então, o que querem as mulheres ? O escritor alemão Heimrich Zimmer (1890-1943) desenvolve no livro A Conquista Pisicológica do Mal um conto delicioso baseado na questão levantada por Freud. Nele o lendário Rei Arthur precisa responder à pergunta de maneira convincente para ser poupado da morte iminente. Depois de um périplo no limite entre o cômico e o trágico, consegue indulto com uma resposta tão simples e óbvia: “O que as mulheres mais desejam é a soberania sobre os homens”.



terça-feira, 8 de novembro de 2011

Carreira


Carreira

Como Atingir
Objetivos e Metas




Na noite anterior à caçada, os aborígines australianos, com quem vivi e estudei durante mais de um ano, fazem a dança da caça onde uma parte do grupo faz o papel da caça e outra parte o dos caçadores. Nessa dança eles acreditam "caçar" o animal. Após a "caçada" (na dança) eles comemoram, fazem as chamadas pinturas rupestres (desenham o animal caçado nas paredes das cavernas) e vão dormir. No dia seguinte, se levantam e vão "apanhar o animal", com os bumerangues e lanças próprios para (agora sim) caçar o animal que acreditam já ter sido devidamente "caçado" durante a dança na noite anterior.
O que a caçada aborígine nos ensina?
Em primeiro lugar vemos que a "dança" é uma preparação mental e física para a caçada (objetivo) e ao mesmo tempo um verdadeiro "treinamento". Quando imitam o animal e o ato de caçar, fazem, na verdade um treinamento de simulação da caça verdadeira. Aí são discutidos os hábitos do animal a ser caçado, o comportamento dos caçadores, as armas e a destreza no uso dos equipamentos (bumerangues e lanças), etc.
Mas o principal é que a dança serve para fixar claramente qual é o objetivo do dia seguinte – caçar aquele determinado animal (e não outro).
Com o objetivo bem determinado, claro e de conhecimento de todos (qual é o animal a ser caçado) e com ações de preparação e treinamento (dança noturna) para conquista-lo, e com as armas certas, não há como não obter êxito na caça!
No dia seguinte, a caçada segue sem nenhuma tensão ou ansiedade pois que a certeza de caçar é tão grande que basta apenas ter dedicação e entusiasmo para se atingir o objetivo final – trazer o animal para a aldeia!
Na empresa e no nosso dia-a-dia é a mesma coisa: um objetivo e metas claros e definidos, instrumentos certos para atingi-los (ou armas adequadas), pessoas certas e habilidades treinadas, dedicação e entusiasmo e, com certeza, atingiremos nossos objetivos, por mais audaciosos que parecem ser.
Os dias atuais de extrema mudança e competitividade exigem que tenhamos claro os nossos objetivos pessoais e profissionais e um total envolvimento e comprometimento com as coisas e com as causas da empresa em que trabalhamos. Para atingir um objetivo é preciso que não nos economizemos em nossa capacidade de participar dos programas e projetos de qualidade, produtividade, agressão ao mercado, vendas e outras atividades que levem nossa empresa ao sucesso.
Há pessoas que não se envolvem, não se comprometem, com a idéia falsa e errônea de que não se envolvendo e não se comprometendo ficam isentas de problemas. Nada mais falso! Pessoas que preferem "morrer sentadas" com medo de participar ficam à margem do caminho, nunca são promovidas e são vistas como não-comprometidas.
As pessoas de sucesso são as que não têm medo de se comprometer e as que compreendem que o sucesso exige de nós a coragem para correr riscos, para assumir compromissos e lutar por nossos objetivos. A diferença fundamental entre ganhadores e perdedores está na medida do comprometimento, do envolvimento, da participação e da capacidade de fazer, empreender.
Você conhece funcionários que ficam procurando maneiras de fazer as coisas pelo caminho menos comprometido e mais fácil? Você conhece funcionários que ficam o tempo todo olhando no relógio para ver quando terminará o expediente para irem embora o mais rapidamente possível? Você conhece pessoas que não participam de nada em suas comunidades para não se envolverem em coisas que "dão trabalho"?
Eu conheço muita gente assim e tenho pena dessa gente.
O tempo atual é dos que têm objetivos claros e são comprometidos com aquilo que fazem. Vejo, com pesar, pessoas que se economizam o tempo todo. Parece que não querem "gastar-se". Não querem "doar-se" àquilo que fazem. Essas pessoas jamais terão sucesso algum. Jamais experimentarão o prazer de serem avaliadas positivamente. Jamais alcançarão seus objetivos e metas.
Quanto mais uma pessoa se economiza, mais os outros a economizarão, não contando nada a elas, não as envolvendo nas decisões, não perdendo, enfim, tempo com elas. E assim, elas vão ficando cada vez mais "por fora" e alheias a tudo o que acontece e, é lógico, serão igualmente esquecidas nas promoções e nas oportunidades de crescimento pessoal e profissional.
Com um objetivo claro e definido, pessoas comprometidas experimentam o sucesso tão invejado pelos que não se envolvem, não se comprometem e ficam à margem do caminho.
Acredite! Tenha foco, se aperfeiçoe, use as armas adequadas, tenha dedicação e entusiasmo e traga para casa o seu "bicho"!
Pense nisso. Sucesso!

Artigo Escrito pelo Professor Luiz Almeida Marins Filho, Historiador, Antropólogo, Estudioso em Marketing e Gestão Empresarial, Professor, Escritor e Palestrante.

Para mais informações acesse: